Quinta-feira , 17 Agosto 2017
Capa > Entrevistas > Respostas sobre DST (Doença Sexualmente Transmissível) – Dr. Bruno Jacob

Respostas sobre DST (Doença Sexualmente Transmissível) – Dr. Bruno Jacob

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Algumas leitoras nos tem colocado perguntas sobre saúde da mulher, para responde-las hoje contamos com a colaboração do Dr. Bruno Jacob (CRM 167047), formado em medicina pela Universidade São Camilo. Dr. Bruno Jacob atua na área de ginecologia e obstetrícia e saúde da mulher. Foi presidente da Liga Acadêmica da Saúde da Mulher. Atende em maternidades da cidade de São Paulo e em consultório particular. Atualmente possui redes sociais onde ele aborda os mais diversos assuntos referente a saúde da mulher e gravidez.

Sigam Dr. Bruno Jacob nas redes sociais abaixo, onde poderão contacta-lo diretamente:

www.facebook.com/drbrunojacob

www.instagram.com/drbrunojacob

ginecologista-dr-bruno-jacob

Vamos às perguntas? :)

 Perguntas e Respostas sobre DST (Doença Sexualmente Transmissível)

1- O que significa DST?

É uma sigla. Doença Sexualmente Transmissível.

2- Quais as DST’s mais comuns?

A OMS tem apontado um importante aumento nos casos de sífilis atualmente. Na clinica diária tem-se visto um crescimento alarmante de HPV e clamídia.

3- Pode falar brevemente sobre elas?

Sífilis: Doença sistêmica de evolução crônica. A lesão varia de acordo com o grau da doença, sendo o cancro duro a lesão primária *a prática de sexo oral pode acometer boca e lábios.

HPV: O papilomavírus humano é responsável por 99% dos casos de câncer de colo. A lesão mais evidente é chamada de condiloma acuminado e acomete vulva e pele do períneo.

Clamídia: Segundo a OMS são 131 milhões de novos casos/ano. É o agente mais comum nas uretrites e um dos principais causadores de doença inflamatória pélvica.

4- Quais os sintomas mais comuns de uma DST?

Sintomas comuns na maioria das DST’s são corrimento genital, dor pélvica e desconforto vaginal.

5- Toda ferida ou corrimento genital é uma DST?

Não! Existem corrimentos que são fisiológicos da flora vaginal. No caso de feridas nem todas são patológicas, algumas podem ocorrer se a paciente coçar muito a região genital, sem que isso indique uma doença sexualmente transmissível.

6- Que tipo de corrimento vaginal pode ser considerado normal?

No geral são os esbranquiçados ou transparentes, sem odor e sem coceira. O volume varia de acordo com a fase do ciclo menstrual.

7- Se uma mulher tem um corrimento frequente de cor amarela e que provoca coceira, mas já fez exames de cultura e não foi detectado nenhuma bactéria patogênica, o que pode ser esse corrimento?

Na medicina a clínica é soberana, ou seja, mais vale o que o ginecologista está vendo no exame clínico, do que o resultado da cultura.

8- É possível estar com uma DST e não apresentar sintomas?

Com certeza. Até DST’s mais severas como HIV podem levar anos até que a paciente note os primeiros sintomas

9- Fora a área genital, os sinais de uma DST podem aparecer em outras regiões do corpo?

Sim! A sífilis, por exemplo, cursa com eritemas espalhados pelo corpo.

10- As chances de se contrair uma DST através do sexo oral são menores do que sexo com penetração?

Correto! Porém essa chance aumenta se quem faz o sexo oral estiver com aftas ou lesões ativas na mucosa da boca.

11- A vacina contra o HPV é realmente eficaz? Porque algumas pessoas tiveram reações severas a esta vacina?

A vacina quadrivalente é eficaz. Reações adversas são mínimas

12- Posso tomar a vacina contra HPV em qualquer idade?

Sim! Qualquer paciente com atividade sexual deve tomar a vacina!

13- O que fazer quando a camisinha estoura?

A contracepção de emergência (pílula do dia seguinte) deve ser tomada assim que possível. Mas não há necessidade de nenhum tratamento profilático, desde que a pessoa não tenha diagnósticos de HIV, sífilis ou hepatite. Se o parceiro não for fixo, deve-se consultar um ginecologista se aparecer qualquer sinal diferente, como corrimentos, ulceras e verrugas.

14- A DST pode ser adquirida através sexo anal?

Sim! As chances de transmissão é muito maior do que via oral e vaginal.

15- A candidiase é uma DST?

A candidíase é causada pela Candida Albicans, que é um fungo encontrado em 30% das mulheres sadias. A via sexual não é a principal forma de transmissão.

16- DST’s podem ser transmitidas ou afetar o feto durante a gravidez?

Sim! Sífilis, HIV, herpes são algumas delas. Até mesmo meros corrimentos, podem desencadear o parto prematuro.

17- Como posso exigir o uso da camisinha e não estimular a desconfiança?

DST não está estampada no rosto de ninguém! O diálogo entre o casal é muito importante.

**** Espero que tenhamos esclarecido as dúvidas que nos colocaram! Caso tenham mais dúvidas não hesitem em contactar-nos.

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos Obrigatórios *

*


três − 1 =

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×